Veja o que fazer se você caiu na malha fina do IR 2021

D2cf7f13 1472 41a1 96d5 43890108ed74 - Contabilidade na Lapa - SP | RM Assessoria

Compartilhe nas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

De acordo com dados divulgados pela Receita Federal nesta quinta-feira, 30 de setembro, 869.302 contribuintes caíram na malha fina do Imposto de Renda (IR) 2021. Os 869.302 contribuintes representam 2,4% do total de declarações deste ano que chegou a um total de 36.868.780.

De acordo com a Receita os principais motivos que levaram os contribuintes à malha fina foram a omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual, bem como a inconsistência nas deduções da base de cálculo.

Caí na malha fina e agora?

Caso você seja um dos mais de 869 mil contribuintes que caíram na malha fina este ano, o recomendado é regularizar a situação o mais rápido possível. Isso porque, além de reter a restituição do Imposto de Renda, o contribuinte que cai na malha fina corre o risco de:

  • Pagar uma multa de 75% sobre o imposto devido.
  • Ter o nome no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais (Cadin). O nome é grande mas, de forma resumida, ele registra as pessoas que devem para órgãos e entidades federais.
  • Ter o CPF em situação irregular, o que dificulta na hora de abrir contas bancárias, pedir empréstimos ou até mesmo financiar um veículo.

Como regularizar a situação

Para verificar se o contribuinte caiu na malha fina, será necessário verificar a situação por meio da página da Receita Federal ou pelo aplicativo do Imposto de Renda.

Caso seja constatado que o contribuinte caiu de fato na malha fina, será necessário avaliar alguns pontos como as possíveis pendências na declaração, para posteriormente retificar a sua declaração.

Confira o passo a passo do que fazer:

  • Acesse o site da Receita Federal no ambiente virtual E-CAC;
  • Na maioria das vezes é possível resolver a situação ao realizar uma retificação da declaração, seja pelo celular ou computador, bastando ir nos campos “Meu Imposto de Renda”, depois em “Declaração” e, por fim, “Processamento”;
  • Clique na opção “Preencher a declaração online”, escolha o ano que vai ser alterado e finalize tudo em “Retificar declaração”.
  • Pronto! Agora é aguardar a Receita analisar sua retificação e responder em breve.

Atenção! Em situações mais graves o contribuinte deverá comparecer à Receita Federal mais próxima afim de explicar o que ocorreu de fato. Caso seja necessário, não esquema de levar a documentação e comprovação de tudo o que foi declarado.

 

fonte: jornalcontabil

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Posts Relacionados

FGTS e PIS para MEI

FGTS e PIS para MEI O MEI não recebe FGTS, mas caso você tenha trabalhado como CLT e tenha um FGTS para receber, você pode retirá-lo desde que não tenha sido demitido por justa causa. Ou seja, ser MEI e

Regras de Recolhimento para o Simples Nacional

Regras de recolhimento para o Simples Nacional As empresas enquadradas no Simples Nacional, em regra geral, fazem suas contribuições ao INSS por meio da DAS (Documentação de Arrecadação do Simples Nacional). A alíquota de desconto para optantes do Simples Nacional

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO”

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO” Por Ricardo Menezes Cordeiro 1 Competência absoluta dos Juizados Especiais Fazendários É inegável que a agilidade e a ausência de custo que encontramos nos juizados especiais fazendários (JEFAZ) resultam no acesso ao Judiciário! Mas às

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 20/07/2022 | Edição: 136 | Seção: 1 | Página: 71 Órgão: Ministério da Economia/Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 2.096, DE 18 DE

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO?

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO? Por: Beatriz Barreto Meira Cartas de referência são importantes aliadas dos candidatos às vagas de empregos, funcionando de forma complementar ao currículo, comprovando experiência e habilidades interpessoais e, com isso,

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Back To Top