Entenda agora como funciona o ICMS e saiba como fazer o cálculo em sua empresa!

Entenda Agora Como Funciona O Icms E Saiba Como Fazer O Calculo Em Sua Empresa (1) - Contabilidade na Lapa - SP | RM Assessoria

Compartilhe nas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Saiba como calcular o ICMS em 2021

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual de Comunicação conhecido como ICMS é um dos principais impostos pagos pelos empresários e que gera bastante dúvidas entre os brasileiros.

O ICMS é um tributo Estadual com valores definidos pelos Estados e Distrito Federal regulamentado pela Lei complementar 87/1996.

Como funciona o ICMS?

Levando em consideração que esse imposto incide sobre a circulação de mercadorias e serviços, ele é pago quando uma mercadoria ou serviço passa de uma empresa para a outra como também da empresa ao cliente, o ICMS já vem embutido no valor final dos produtos e está presente em todas as etapas da cadeia desde a produção até o consumidor final.

Como calcular o ICMS ?

Calcular o ICMS é um procedimento simples, onde se multiplica o valor da mercadoria ou serviço pela alíquota praticada no estado ou seja a porcentagem daquela operação.

Se uma mercadoria X tem o valor de R$1.000,00 e a alíquota é de 18%, logo o resultado será de R$180,00, Deste valor R$:80,00 são o ICMS.

Existem três tipos desse tributo: o ICMS normal que agrega o conjunto de impostos do Simples Nacional pago mensalmente pelas empresas das guias DAE e DAS.

No caso do ICMS-ST Substituição Tributária é um tributo que incide sobre algumas mercadorias e operações interestaduais, e  por último o ICMS diferencial de alíquota que incide sobre a compra de mercadorias de outros estados.

Alíquotas do ICMS

No caso dos itens básicos como arroz e feijão a alíquota é de 7%, para cigarros, cosméticos e perfumes 25% e para os demais produtos a taxa é de aproximadamente 18%.

No caso de exportação a alíquota é de 4%.

Alíquotas de acordo com cada Estado

ICMS no Acre: 17%;

ICMS em Alagoas: 18%;

ICMS no Amapá: 18%;

ICMS no Amazonas: 18%;

ICMS na Bahia: 18%;

ICMS no Ceará: 18%;

ICMS no Distrito Federal: 18%;

ICMS no Espírito Santo: 17%;

ICMS em Goiás: 17%;

ICMS no Maranhão: 18%;

ICMS no Mato Grosso: 17%;

ICMS no Mato Grosso do Sul: 17%;

ICMS em Minas Gerais: 18%;

ICMS no Pará: 17%

ICMS na Paraíba: 18%;

ICMS no Paraná: 18%;

ICMS em Pernambuco: 18%;

ICMS no Piauí: 18%;

ICMS no Rio de Janeiro: 20%

ICMS no Rio Grande do Sul: 18%;

ICMS no Rio Grande do Norte: 18%;

ICMS em Rondônia: 17,5%;

ICMS em Roraima: 17%;

ICMS em Santa Catarina: 17%;

ICMS em São Paulo:  18%;

ICMS em Sergipe:  18%;

ICMS no Tocantins: 18%.

Pagamento do ICMS

Para fazer o recolhimento desse tributo é necessário a empresa se cadastrar na Secretaria de Estado da Fazenda da região onde atua, pois através desse cadastro é gerado um número de inscrição Estadual com a confirmação que a empresa contribui com este tributo.

Não pagamento do ICMS

Quando se deixa de pagar o ICMS a empresa se torna inadimplente com o fisco.

Em caso de atraso a regularização deve ser feita o quanto antes pois é cobrado os impostos atrasados com juros que são fixados de acordo com a taxa Selic referente ao período de atraso.

Fonte: Jornal Contábil

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Posts Relacionados

FGTS e PIS para MEI

FGTS e PIS para MEI O MEI não recebe FGTS, mas caso você tenha trabalhado como CLT e tenha um FGTS para receber, você pode retirá-lo desde que não tenha sido demitido por justa causa. Ou seja, ser MEI e

Regras de Recolhimento para o Simples Nacional

Regras de recolhimento para o Simples Nacional As empresas enquadradas no Simples Nacional, em regra geral, fazem suas contribuições ao INSS por meio da DAS (Documentação de Arrecadação do Simples Nacional). A alíquota de desconto para optantes do Simples Nacional

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO”

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO” Por Ricardo Menezes Cordeiro 1 Competência absoluta dos Juizados Especiais Fazendários É inegável que a agilidade e a ausência de custo que encontramos nos juizados especiais fazendários (JEFAZ) resultam no acesso ao Judiciário! Mas às

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 20/07/2022 | Edição: 136 | Seção: 1 | Página: 71 Órgão: Ministério da Economia/Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 2.096, DE 18 DE

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO?

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO? Por: Beatriz Barreto Meira Cartas de referência são importantes aliadas dos candidatos às vagas de empregos, funcionando de forma complementar ao currículo, comprovando experiência e habilidades interpessoais e, com isso,

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Back To Top