Skip to content

RECORDE: BRASIL TEM 25,7 MILHÕES DE PROFISSIONAIS AUTÔNOMOS

Compartilhe nas redes!

RECORDE: BRASIL TEM 25,7 MILHÕES DE PROFISSIONAIS AUTÔNOMOS
Por: Danielle Ruas

O trabalhador autônomo é toda pessoa que exerce atividade de forma liberal, prestando serviços para empresas ou pessoas físicas por um tempo específico, sem vínculo empregatício. Eles são avantajados por total autonomia financeira e profissional, não assumindo o papel de um funcionário efetivo, pelas questões fiscais mais simplificadas e ainda pela simplicidade de conseguir trabalhos no mercado digital.

Pois bem: agora, no Brasil, existem 25,7 milhões que trabalham por conta própria. O patamar é recorde na série histórica. A informação é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Pnad Contínua, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Segundo o órgão, no último trimestre móvel, encerrado em julho deste ano, a porcentagem de autônomos cresceu 4,7%, em comparação com o trimestre anterior. Por sua vez, na visão do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, a pandemia foi a principal causa do aumento do número de empreendedores. “Nós tivemos um acréscimo de vontade empreendedora de 75%, e destes, 23% são por necessidade, a pandemia os trouxe a serem empreendedores por necessidade”, afirma o diretor-presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Carlos destaca que “nos últimos anos, quem gera emprego de carteira assinada no Brasil é a micro e pequena empresa, são elas quem tratam do espírito empreendedor.” Atualmente, o País possui cerca de 7 milhões de micro e pequenas empresas.

Emprego x desemprego
Importante salientar que, ainda segundo o IBGE, a taxa de desemprego caiu em 22 das 27 unidades da federação no 2º trimestre, na comparação com os três primeiros meses do ano, segundo pesquisa divulgada pelo IBGE. Outros cinco estados registraram estabilidade. Dessa forma, as maiores taxas de desemprego foram: Bahia (15,5%), Pernambuco (13,6%) e Sergipe (12,7%), e as menores, de Santa Catarina (3,9%), Mato Grosso (4,4%) e Mato Grosso do Sul (5,2%).

Na média nacional, a taxa de desemprego ficou no 9,3% no 2º trimestre, ante 11,1% no 1° trimestre, mas com a falta de trabalho ainda atingindo quase 10,1 milhões de brasileiros, conforme já divulgado anteriormente pelo Instituto.

Nesse escopo, os setores de maior crescimento na economia, no último trimestre, foram: construção civil (10,3%); alimentação (9%); serviços domésticos (7,7%); transporte, armazenagem e correio (4,9%); comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (4,5%); e agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (3,2%).

Da Redação do Portal Dedução
Fonte: Portal Dedução

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

IR 2024

IR 2024: QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS PARA QUEM NÃO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA? Ao descumprir o prazo estabelecido pela Receita Federal para a entrega da

Salário atrasado?

  ESTÁ COM SEU SALÁRIO ATRASADO? ENTENDA QUAIS SEUS DIREITOS   Trabalhador pode recorrer à rescisão indireta. Entenda O pagamento de salários em dia é

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Back To Top