Como se organizar sendo MEI!

Compartilhe nas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
COMO SE ORGANIZAR SENDO MEI: CONFIRA AS PRINCIPAIS DICAS
Planejamento financeiro permite que empreendedor impulsione negócio
Autor(a): Flávia Viana
Fonte: A Autora
Se a vida financeira está uma bagunça e não se sabe por onde começar a organizar, saiba que controlar bem as finanças faz toda a diferença para a sobrevivência e o sucesso do negócio e pode ser o primeiro passo. Pensando nisso, reunimos cinco dicas importantes para você se organizar ainda este ano.
– Não misture o dinheiro pessoal com o da empresa
O primeiro passo é separar sua conta bancária de pessoa física e de pessoa jurídica. Misturar as contas pode desorganizar as finanças completamente e acabar gerando inadimplências e falta de capital de giro, item importante para o negócio continuar.
Além disso, com a divisão, você evita problemas com a Receita Federal, que pode ver valores na sua empresa que não são tributáveis como tributáveis, e vice-versa, ou seja, você não terá problemas com o Fisco.
– Faça o fluxo de caixa
Registre todas as movimentações de entradas (receitas) e saídas (despesas) realizadas no mês. Para simplificar o processo, você pode utilizar planilhas ou aplicativos que contenham a opção de inserir essas informações.
Ao analisar o fluxo de caixa, é possível identificar gastos desnecessários e evitar que custos extras sejam gerados para o negócio, comprometendo o caixa da empresa, além de ficar ciente de tudo o que está entrando na empresa e de onde vem esse dinheiro. Ou seja, você terá suas contas organizadas e saberá o momento de investir ou de poupar gastos.
– Planeje gastos e investimentos
Com os dados retirados de uma análise de fluxo de caixa, faça uma previsão dos custos futuros da empresa que não comprometerão o orçamento disponível atual e mensure como e onde você quer chegar com a sua empresa no futuro. Desse modo, é possível encontrar boas soluções e também optar por investimentos que façam sentido para a melhoria da empresa e que garantam a competitividade perante ao mercado.
– Mantenha o capital de giro
O capital de giro é o dinheiro disponível no caixa da empresa para se manter em pleno funcionamento, arcando com as despesas fixas e eventuais durante um determinado período de tempo.
Isto é, é com esse valor que gastos essenciais da companhia, como salários, manutenção de estoque, energia, água, internet e impostos, serão cobertos, caso nenhum valor entre no caixa.
Por isso, é necessário que o departamento financeiro tenha capital de giro suficiente durante os meses de baixa. Entretanto, não há uma conta exata para calcular qual o valor adequado para compor esse caixa. Todavia, a sugestão para não ter problemas é de que a reserva seja capaz de suprir as contas da empresa por pelo menos seis meses.
– Não se esqueça dos deveres do MEI
Cumprir com as obrigações do MEl também é essencial para a saúde do negócio. Uma delas é a emissão de nota – lembre-se que, caso o seu cliente seja pessoa jurídica ou do governo, você é obrigado a emitir nota fiscal MEI. No entanto, mesmo nos casos de cliente pessoa física que não há a obrigatoriedade do procedimento, ela traz vantagens e segurança; por isso, não deixe de usá-la.
Além disso, fique atento ao pagamento mensal da Declaração Anual Simplificada (DAS) e também à entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI). O não envio da DASN-SIMEI acarreta multa e pode até causar o cancelamento do CNPJ do MEI.
Fonte: Portal Contadores
Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Posts Relacionados

FGTS e PIS para MEI

FGTS e PIS para MEI O MEI não recebe FGTS, mas caso você tenha trabalhado como CLT e tenha um FGTS para receber, você pode retirá-lo desde que não tenha sido demitido por justa causa. Ou seja, ser MEI e

Regras de Recolhimento para o Simples Nacional

Regras de recolhimento para o Simples Nacional As empresas enquadradas no Simples Nacional, em regra geral, fazem suas contribuições ao INSS por meio da DAS (Documentação de Arrecadação do Simples Nacional). A alíquota de desconto para optantes do Simples Nacional

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO”

ALGUNS CUIDADOS NO “PROCESSO TRIBUTÁRIO” Por Ricardo Menezes Cordeiro 1 Competência absoluta dos Juizados Especiais Fazendários É inegável que a agilidade e a ausência de custo que encontramos nos juizados especiais fazendários (JEFAZ) resultam no acesso ao Judiciário! Mas às

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMA DA EFD-REINF DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Publicado em: 20/07/2022 | Edição: 136 | Seção: 1 | Página: 71 Órgão: Ministério da Economia/Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 2.096, DE 18 DE

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO?

CARTAS DE REFERÊNCIA E RECOMENDAÇÃO: O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO? Por: Beatriz Barreto Meira Cartas de referência são importantes aliadas dos candidatos às vagas de empregos, funcionando de forma complementar ao currículo, comprovando experiência e habilidades interpessoais e, com isso,

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Back To Top